terça-feira, 5 de outubro de 2010

50 em 5

E ja se passaram... 5 dias.
Nossaaa!!!

Entao foram 50 em 5.
E eu nem sou
presidente do Brasil, e nem tenho um super plano de desenvolvimento economico e estrutural para o nosso Pais.
Mas vou treinando... fazendo meus milagres a cada dia.
Depois do cagaco em Uluwatu, muita coisa aconteceu...

Descobri que a origem do pavor inicial estava justificada pela condicao casca grossa a que me expus logo no primeiro dia de surf em Bali.

Escolher Uluwatu grande na mare seca foi um erro de planejamento. rs

Entram novos personagens nessa trip: Iapa, Samia, Cleiton, Bruna e Alessandra.


Samia
mora em Bali ha dois anos e ja ta no rip do surf faz tempo, conhece cada pico e sabe o tempo certinho de cada onda, alem de falar indonesio, cantar como um rouxinol, tocar violao, ela ainda e simpatica e divide tudo isso com as criancas daqui. Tem um projeto social que vale a pena conferir.

Ela quem me levou para Green Ball naquele dia.Bom...

Com eles conheci a cidade das pratas... Voltaremos a falar sobre esse assunto no Modulo: NEGOCIOS! rs

Mas foi com o Iapa e a Bruna que eu vi esse sunset.


Foto:IAPA

Foi de bracos abertos que recebi essas duas pessoas lindas na vida.
E e com esses mesmos bracos abertos que espero recebe-los de volta.


Iapa e Bruna partiram pra uma trip no Hawaii, mas eles voltam... Bali envolve.

No templo de Uluwatu.

(Ah... esse lugar me persegue!!! rs Uluwatu e desafio... morde e assopra!!!rs)

Tem esse por do sol de brinde para os que nao resistem aos seus encantos...

Nesse templo tem paz... mas tambem tem macacos que tiram a paz e os oculos das pessoas... rs

Cuidado com as bolsas... eles sao danados.


Mas o dia nao terminou... Na real... Volta a fita...

Nao contei ainda...

Mas antes de ir pro Templo estavamos num restaurante:

Eu, Samia, Bruna, Iapa, Alessandra e Cleiton (brinde por alguns dias, coracao puro, amigo de longa data das meninas, companheiro de alguns passeios).

Depois de fazer a cabeca nas ondas de Green Ball, fiz a malhacao da panturrilha na escadaria pra voltar.

Voltei cantando sozinha embaixo do meu capacete na moto... voltei rindo... e agradecendo por ter vivido essa onda.

Fome!

Restaurante no caminho para NusaDua.

Papo bom... Arte... construcao de personagem... Circo... relacao entre atores... Noronha... SURF...

Depois de pagar as 21.000 rupias, 5 reais por uma rango muito bom, fomos ao centrao:

DENPASAR


Carros... motos... gente... movimento... poeira...

Eles foram as compras...

Acompanho! To em todas! Quero conhecer tudo o que puder nessa ilha.


Saimos de la... Eu, Bruna e Iapa
rumo ao templo de Uluwatu para ver o por do sol.

Estavamos atrasados, mais um pouco e chegariamos para contar as estrelas...

No caminho o pneu da moto do Iapa furou.

Bruna pra minha garupa e Iapa aos trancos e barrancos...

CHEGAMOS!!!

Por do sol... visual... paz... macacos rs

Energia!

Nem lembramos do pneu...
ate pensamos que dava pra voltar e consertar perto de casa.

Mas... nao deu!

E isso nem foi problema...

Eu e Bruna
na busca por um borracheiro... telefone... borrecheiro a caminho...

Mae Balinesa cantando pra nenem dormir na porta da venda...

Noite linda!

Final de dia perfeito!!!

Estavamos indo de volta pra casa.

Na minha moto pelo celular Bob Marley cantava...

"Don't Worry About a Think
Cause Every Little Think Gonna Be All Right!!!"


E a gente tava na mesma sintonia!!!

Ha Tanto Pra Sentir Ainda...

AHAAAAA!!!

Consegui!!!

Duas direitas que nessa epoca de eleicao... valeriam como uma ESQUERDA!!!

Green Ball!!!

Desci cada degrau sem pensar na subida. Olha que foram muitos...

Corrente forte... O lugar mais seguro: OUTSIDE!!!

Que bom!!! rs

Tempo pra entender a vida da onda, tempo pro visual.

Que lugar lindo!!!


Tudo entendido!!! Quer dizer, a gente pensa que entende ne...

E elas vieram... foram duas direitas... abrindo... parede de onda!!!

E eu juntinho dela.

Foi macia!!!

Ela segurou na minha mao e disse: Vamos!!!

E eu fui!!!

Voltei chorando pro pico. De felicidade!!!

De amor!!!

De agua salgada!!!

De SURF!!!

De VIDA!!!

Aqui dentro tem um coracao que pulsa. E ele acabou de dizer pra mim nessa onda:

HA
TANTO PRA SENTIR AINDA RAQUELINA!!!

Nessa caixinha de surpresas que e o mundo, quer dizer... nessa bola gigante de surpresas ha muitas verdades pra ler, muitos sentimentos pra aflorar...

E quando eu esperava surfar uma onda... EU SURFEI MINHA VIDA!!!

E naquele segundo eu nasci de novo.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O Buraco E Mais Embaixo

Uluwatu

E pra nao dizer que e pouco, eu digo que e muito. E eu sei que esse muito so depende do meu ponto de vista e se e ele que vem por meio dessas palavras... la vamos nos...

Novo comeco, novo dia, nova praia... Balangan. A praia que tem ondas mais perto de onde estou.

Peguei minha motinho, meu capacete, minha canga e fui. A prancha nao foi dessa vez. Eu queria olhar o mar, ver o que me esperava.

Nao sei o que mais me impressionou: as ondas grandes, rapidas, realmente para mim dificeis; ou se foram os nativos tomando banho de roupa e se aglomerando perto de mim pra tirar fotos, acho que meu biquini brasileiro e as gordurinhas acumuladas nos lugares estrategicos chamaram a atencao deles.

Eu nao sabia se ficava brava ou ia fazer a alegria da rapaziada tirando um monte de fotos com eles.

Por sorte ou azar... Nesse momento entrou uma serie de ondas gigantes e eu acabei mudando o foco e continuei curtindo a praia.

Passei la a tarde toda. Foi o primeiro dia dedicado ao estudo teorico das ondas.

Ainda estava na areia quanto se aproximou um brasileiro que vive no mundo ha mais de 20 anos, sendo q os ultimos 15 na Australia.

Me deu varias dicas de lugares para ir em Bali e tal, ja e a quinta vez dele por aqui.

Voltando pra casa passei por um mercado e vi que tinham pessoas andando na perna de pau. Eu nao acreditei. Parei e fui falar com eles.

Sou aprendiz circense, o bichinho do circo me pegou, agora ja era.
Peguei o telefone deles e eles me convidaram pra treinar no studio onde praticam.

Quando cheguei no restaurante para jantar...
Encontrei tres brasileiros...eram amigos do Darsa (Sinira, Melo e Coelho).

Conversando... descobrimos que, nesse dia, tinhamos passado pelos mesmo quatro lugares: um outlet, mercado, macstore e balangan. O universo conspirou pra q a gente se conhecesse e no final do dia, conseguiu! Estavamos juntos trocando varias ideias.

Eu precisa agora de alguem pra me iniciar nas ondas de Uluwatu, e foi o Coelho, um desses tres amigos do Darsa que eu conheci no restaurante.

No dia seguinte, estava eu em Uluwatu com minha botinha nova nos pes, pisando nos corais de Bali e entrando no primeiro mar realmente casca grossa da minha vida.

Fiquei umas tres horas dentro d`agua e nao peguei onda, nenhuma.

A mare tava seca, o mar com um tamanho, eu fora do rip, com quase 2 meses sem surf consistente e o fundo afiadinho.

Remei, cantei, entrei em sintonia com o mar, eu tava la.

Um baiano se aproximou e me deu varias dicas... dos melhores lugares pra ficar... posicionamento mesmo.

Mas nao adiantou. Era pavoroso imaginar a quase nula profundidade e possibilidade quase certa de vacar num drop daqueles.
Eu nunca tinha surfado com aquela prancha, eu nunca tinha surfando de botinha, eu nunca tinha surfado com o cu na mao desse jeito.

O Baiano foi meu companheiro por dois dias. Me levou num japones incrivel e numa praia chamada Dreamland, praia linda, estilo Tailandia. Com um fundo mais macio, um drop mais possivel.

Comecou a funcionar depois das 16h com a mare vazia. Da agua so sai 18h30. Foi bom! Exercicio de humildade, depois de tantos anos surfando, entender que o buraco aqui e mais embaixo e que meu aprendizado so esta comecando.
Consegui umas marolas.

O Baiano passou nessa trip pra me encaminhar nos primeiros passos, agora ele ja vou buscar as ondas gigantes e tubulares de que mais gosta. Boas ondas meu amigo e valeu pela forca.

EXTRA

Comentario de um amigo carioca do arpex, depois da sessao em Uluwatu:

Raquel, se voce so nao conseguiu pegar onda esta otimo.
Voce saiu no lucro.
Se voce conseguiu sair sem se esfolar, sem bater a cabeca no coral, sem quebrar um braco ou uma perna, sinta-se feliz.
Voce so nao conseguiu pegar uma onda.
Voce esta muito bem!!!

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Quero Sentir O Que Me Espera

Vamos la... depois que eu nasci comecei a viajar...

Por terra, ceu e mar... e pensamentos tambem. Mas agora vou contar a atual trip: Asia.

Deixei a Cidade Maravilhosa, embarquei rumo ao ceu. Aportei do outro lado do mundo.

Foram aguas coloridas, com uma cor que eu nem sabia q existia.

Foram cidades movimentadas,

Ilhas divinamente criadas

Pessoas que acompanharam... mas pras suas vidas normais ja retornaram.

Depois de um mes pela Tailandia e Malasia eis que chega a hora de voar novamente.

Aporto, entao, na Ilha dos Sonhos. Indonesia.

Sem rumo, sem direcao, sem nada e com tudo. Vim pelo cheiro. Vim pelas fotos. Vim pela intuicao.

Ainda no aeroporto encontro um brasileiro quase nativo que fala a lingua deles e que conhece como a palma da sua mao os picos mais perfeitos.
















Eu era a
garota carioca swing sangue bom que viajava pela asia sem rumo e sem direcao, guiada pelo coracao.

Depois de uma semana em Jimbaran, bairro estrategico, entre o centro e as ondas, um lugar de praia e de balineses cheios de amor... O tal brasileiro que se chama Darcy Guimaraes e seu amigo Aries (pessoa de energia incrivelmente boa) voam rumo a Singapura, onde o Aries reside e o Darsa faz um pitstop antes do seu retorno ao Brasil.

Esse dia e hoje: 24/09/2010

Encontros do destino, despedidas do destino. Que sejam todas cheias de saudade boa, de agradaveis lembrancas.

A porta da casa do Darsa se fechou, mas a porta da Indonesia se abre, agora para os meus olhos caminharem livres.

Tenho aqui o que preciso.

Duas pranchas, uma moto, uma casa, vizinhos nativos que domingo vao me levar para uma cerimonia Hindu e as ondas... que nao param de quebrar.

Tenho tambem uma saudade boa da minha cidade maravilhosa, do teatro, do circo, da familia, dos amigos... Nao necessariamente nessa ordem. Depende do momento.

Vamos q vamos... hoje foi mais um dia de transicao nessa trip.

Quero sentir o que me espera.

Coracao sempre aberto.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

O Comeco Dessa Historia

Essa minha viagem comecou na correria pra entrar na bola media da minha mae, visto que meus pais nao me facilitaram as coisas, o caminho que eu tive que percorrer foi maior do que o seu.

Meu pai nao me colocou na pista pra largada, ele me deixou na porta do estadio, imagina como foi dificil pra mim, sem pernas, sem olhos, sem maos, sem boca... pra perguntar o caminho, so um rabinho de girino... mas eu consegui!

Nove meses depois desembarquei no mundo. Como ja disse outras vezes... nao acho que nasci, na verdade sai de uma bola pequena pra entrar numa bola maior. Depois daqui... ninguem sabe.

Bola do Pai Bola da Mae Mundo

Mas... enquanto dentro dessa bola gigante vou escrevendo o que vejo, nao so com os olhos.

Comecemos...

Disse meu pai quando soube que minha mae ficara gravida enquanto ainda virgem: "eu to engravidando ate por carta!". Sem saber, proferia sabias palavras... por carta mesmo, mas a carta do destino.

Depois de toda dificuldade na corrida dos canais, depois dos 9 meses so comendo e dormindo, e dancando as vezes, veio o parto. Eu acho que queria nascer, mas algo dentro da minha mae nao queria que eu nascesse, acho que os amigos que fiz ali dentro, o figado, rim, vesicula, ate queriam que eu nascesse, mas o maior amigo que fiz, o nome dele e coracao, ele nao queria que eu ficasse longe.

Eu dizia: calma, eu vou ali ver como esta o mundo la fora e te conto depois, mas ele falava que ia sentir muita saudade. Os coracoes sempre reclamam de saudade. Bom... depois de muito sufoco, desenrola daqui, desenrola dali.

Nasci!!!